sábado, 4 de maio de 2013

Opposittes Attract: Capítulo 10 - Want to date me?

534859_4607922887154_234559414_n_large
"Only you can bring me back to life
Only you can put me into right
Tell me when I can breathe again"


Los Angeles - Califórnia, sábado, 10:00AM
Acordei e olhei as horas no meu celular. 10:05. Não era tão cedo quanto eu pensava. Levantei, fui até o banheiro e tomei um banho bem rápido, pois estava fazendo muito frio, mais do que ontem e a tendência é só piorar. Assim que saí do banho fui até o closet e me vesti, desci a escada, cheguei na sala e dei de cara com quem? Isso mesmo, Christian Beadles. E ele ainda estava deitado no sofá assistindo televisão.
Kim: Christian? - Ele tirou os olhos da televisão e passou a me olhar.
Christian: Oi Kim. Caitlin foi fazer um photoshoot pra uma loja e eu vim fazer uma visita, mas você tava dormindo e seu pai disse que eu podia esperar.
Kim: Ah sim. - Falei. Meu pai quer mesmo que eu fique com Christian. - Você quer tomar café?
Christian: Depende. O que tem? - Disse me seguindo até a cozinha.
Kim: Não sei, tomara que seja algo bom.
Christian: Também espero isso. - Rimos. Entramos na cozinha e meu pai estava sentado à mesa lendo o jornal e bebendo alguma coisa. Nós o cumprimentamos e sentamos com ele. Reparei que meu pai tinha uma nova empregada.
George: Essa é a Doroth, ela começou a trabalhar aqui a há 2 semanas. - Disse enquanto a senhora que aparentava ter uns 60 anos colocava waffles na mesa.
Doroth: Muito prazer. - Falou. - Você deve ser Kimberly. - Disse à mim.
Kim: Sim, mas pode me chamar de Kim. - Ela sorriu.
Doroth: E você é Christian, certo? - Ele espantou-se assim como eu. Como aquele senhora sabia o nome dele?
Christian: Como você sabe? - Ela riu fraco.
Doroth: Minha neta já me falou sobre você. Sua foto é o papel de parede do computador dela.
Christian: Ah sim. Ela é minha fã? - Revirei os olhos.
Kimberly: Não Christian, ela te odeia, por isso te colocou como papel de parede. - Meu pai e Doroth riram.
George: Eu provavelmente irei passar a tarde trabalhando no escritório, então qualquer coisa me chamem. - Falou levantando. Nós assentimos e ele saiu da cozinha.
Christian: Seu pai é um cara legal.
Kim: Ele é. - Falei.
Terminamos de tomar café em silêncio, raramente dizíamos alguma coisa. Depois voltamos pra sala e só então eu fui ver que estava nevando.
Christian: O que tem de bom pra fazer aqui? - Se jogou no sofá e eu sentei na poltrona.
Kim: Quando meus primos vêm pra cá, nós costumamos escorregar pela escada em cima de um colchão.
Christian: Sério? Isso é a coisa mais legal do mundo. Onde tem colchões? - Falou já se pondo de pé. Ri da animação dele.
Kim: Vamos pegar os do quarto de hóspedes. - Saí correndo em direção ao quarto de hóspedes e ele me seguiu. Nós pegamos os colchões das duas camas de solteiro e também amarramos um travesseiro na bunda caso ocorresse algum "acidente".
Christian me ajudou a levar o colchão para a escada e se preparou para descer primeiro.
Christian: Se eu morrer, eu quero que enterrem meu celular, meu computador e todas as cartas de fãs junto comigo. - Falou e eu ri.
Kim: Vai logo.
Christian: Eu to com medo. Olha o tamanho dessa escada.
Kim: Sai daí então, deixa eu ir.
Christian: Não, eu vou. - Fechou os olhos e deu impulso para frente deslizando escada a baixo. Escorreguei com o meu colchão logo depois e nós acabamos batendo de frente, mas por sorte não nos machucamos.
Kim: Estou com preguiça de levar o colchão pra cima, leva pra mim. - Ele soltou uma risada irônica.
Christian: Fica esperando deitada mesmo, porque vai demorar pra isso acontecer. - Ri e continuei deitada no meu colchão.
Kim: Por favorzinho. - Disse manhosa.
Christian: Por favorzinho. - Me imitou com uma voz afeminada e jogou o colchão dele em cima de mim, enquanto eu ria. Ia sair de baixo do colchão, mas senti um peso sobre mim e percebi que foi Christian que tinha pulado em cima de mim.
Kim: Sai Christian! - Gritei, mas ele apenas continuou rindo. Sua risada era tão contagiante que acabei rindo com ele, mesmo estando esmagada.
Christian: Diz que me ama!
Kim: Não vou dizer isso, sai daí.
Christian: Já que não vai dizer vou continuar aqui. - Rolou o corpo em cima de mim e me senti mais esmagada ainda, estava quase sem ar.
Kim: EU TE AMO CHRISTIAN! - Gritei, sentindo ele levantar e o ar entrar nos meus pulmões novamente.
Christian: Eu já sabia disso. - Falou convencido e eu revirei os olhos, saindo de baixo do colchão dele.
Kim: Você é retardado! Eu só não te mato agora porque eu não quero ser presa. - Sentei no colchão e ele sentou do meu lado. Nós estávamos feito loucos no pé da escada, com uma bagunça enorme e gritando feito loucos. Minha sorte é que meu pai não se importava.
Christian: Mentira, você não me mata porque me ama e não aguentaria viver sem mim. - Mais uma vez ele ficou convencido.
Kim: Ah cala a boca. - Dei um tapa nele e nós rimos. - Que horas a Caitlin chega mesmo?
Christian: Quer que eu vá embora?
Kim: Quero muito. - Ele fez bico.
Christian: Ok, eu vou. - Levantou e caminhou até a porta.
Kim: Tchau.  - Falei subindo a escada enquanto reprimia um riso.
Christian: Hey!
Kim: Tchau, Christian. - Acenei ainda de costas subindo a escada e entrei do quarto, mas podia ouvir ele correndo atrás de mim.
Christian: Poxa, não era pra você me deixar ir embora. - Entrou no meu quarto e se jogou na cama.
Kim: Hey, sai daí seu folgado. - Joguei a almofada nele e ele riu, me puxando pelo braço e me fazendo cair na cama junto com ele. Antes que eu pudesse dizer alguma coisa ele selou nossos lábios e deslizou suas mãos pela minha barriga.
Christian: Não se deve ignorar o Christian. - Sussurrou assim que separou nossos lábios e começou a fazer cócegas na minha barriga enquanto eu me contorcia de tanto rir.
Kim: Para Christian, por favor! - Gritei em meio aos risos.
Christian: Eu não ia parar, mas como você já disse que me ama hoje, então eu paro. - Parou de fazer cócegas, mas não desviou seu olhar do meu e nem desmanchou o sorriso que tinha em seu rosto.
Kim: Você é louco! - Dei um soco no ombro dele.
Christian: Por você, você sabe. - Ri.
Kim: É, eu sei. Todo mundo é louco por mim. - Falei convencida e ele revirou os olhos, mas depois começou a rir.
Christian: Você deveria ser menos convencida.
Kim: Olha quem tá falando.
Christian: Eu não sou convencida, apenas falo verdades.
Kim: Tá bom, senhor verdades. Vamos fazer algo. - Disse tentando sair da cama, mas era quase impossível porque Christian estava me prendendo.
Christian: Vamos ficar aqui. - Me abraçou mais forte.
Kim: Não Christian, vamos lá fora, já parou de nevar.
Christian: Eu vou com uma condição. - Revirei os olhos, com certeza ele falaria a coisa mais absurda do mundo.
Kim: Qual?
Christian: Aceita namorar comigo? - Falou de uma vez só e eu senti meu corpo paralisar. Ele não poderia ter sido menos direto?

ooooooi gente
Depois de 1 bilhão de anos, aqui estou eu \o/
Muito obrigada pelos comentários e desculpem pela demora :s
Leitoras novas sejam bem-vindas e espero que estejam gostando do blog :)
Bom, até o próximo capítulo e qualquer coisa falem comigo pelo ask :D

10 comentários:

  1. Continua *--------------*
    não demora cara :@@@

    ResponderExcluir
  2. Diz que ela vai aceitar,por favorzinho.E serio ela tem que aceitar.E vê se demora menos pra postar.

    ResponderExcluir
  3. Continua please *u* Tá perfeito, estou amando todas IMAGINES !
    E outra: Ela tem que aceitar, #AnciosaPraParteHot

    ResponderExcluir
  4. Awwwwwwwwwwwnt que fofos , a Kim tem que aceitar kra !! ^-^
    Continua logo , a cada cap fica mais perfeito :D

    ResponderExcluir
  5. Ooh gosh. Que direto eiiin kkkk continua logo

    ResponderExcluir
  6. Continuaaaaaaaaaaa pelo o amor de Deus!
    Leitora Novaaaaa ><
    Amando o seu IB <3
    By: Feeh Toppis

    ResponderExcluir
  7. CONTIUaA PELO AMOR DE DEUS EU NESSECITO DE SABER QUAL E A RESPOSTA DA KIMBERLY ^-^

    ResponderExcluir
  8. Um selinho pra você no meu blog :http://imagine-belieber-kidrauhlforever.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comente e estimule a autora do Imagine a escrever.